Laís Viegas de Valenzuela

Foi tão bom te conhecer!

abril 13, 2024 | by ipsislitteris.com

“Foi tão bom te conhecer, tão fácil te querer,

Triste não te ver por tanto tempo…”

Foi bom te reencontrar, “…quem sabe, feliz,

A mesma alegria de novo.

Mais uma vez, amor, te abraçar de verdade,

Tem sempre um novo amor, uma nova saudade…

“Coisas do Brasil, coisas do amor”.

(Guilherme Arantes, compositor brasileiro)

Puxa, essa canção parece feita para nós, pois o nosso amor parecia uma conspiração dos deuses: por um lado, tudo torcendo para não dar certo, mas talvez as coisas tenham terminado por se render e conspirar a nosso favor. A situação tinha tudo para não dar certo: a distância, o tempo, a diferença de idades, eu cheia de filhos, meu trabalho (única forma de sustento na minha vida), mas parece que a vontade de estarmos juntos era tão grande que não houve nada que impedisse!

E eu, que nunca acreditei no destino, nos fados, nas bruxas, cartomantes ou quiromantes, pitonisas, ciganas, feiticeiros, horóscopos ou profecias, tive que “dar a mão à palmatória”, e reconhecer que só deu certo devido à intervenção de alguma dessas entidades que dirigem as coisas impossíveis!

Ah, já sei: deve ter sido obra de Santa Rita: ela é que é a das causas impossíveis!

RELATED POSTS

View all

view all